Essai de Résistance

quarta-feira, outubro 11, 2006

De onde vens? És meu? Quem és?

O Homem de Vime

A mão do destino se move, e o dedo aponta pra você
Ele te deixa de joelhos e então, o que você vai fazer
Sua língua estava congelada e agora, você tem algo a dizer
O flautista nos portões da colina, indica a você o caminho

Você assiste o mundo explodindo toda noite
Dançando sob sol um novo nascimento na luz
Diga adeus a gravidade e diga adeus a morte
De olá a eternidade e viva cada suspiro

A sua hora chegará
A sua hora chegará
A sua hora chegará
A sua hora chegará

O balseiro quer o dinheiro dele, mas você não vai devolver
Ele pode navegar com o próprio bote, enquanto você sai do curso
Nada que você contemple, será mais a mesma coisa
Cada segundo é uma nova fáísca, deixando o universo em chamas

Você assiste o mundo explodindo toda noite
Dançando sob sol um novo nascimento na luz
Irmãos e seus pais juntam as mãos e fazem uma corrente
A sombra do homem de vime está se levantando novamente

A sua hora chegará
A sua hora chegará
A sua hora chegará
A sua hora chegará


Então pra que pressa...




P.s.: pode ser pra mim, mas não é meu.

3 Comments:

Anonymous  said...

Tudo tem o seu tempo....

9:22 AM  
Anonymous Marcelo said...

Tenho um encontro comigo mesmo, um último acerto de contas..mas não esta marcado..ainda!
Beijos

4:03 PM  
Anonymous Anônimo said...

Venho de todos os cantos e de lugar nenhum... hei de ser...quem posso ser é mais interessante sou um mero fantoche do universo

6:17 PM  

Postar um comentário

<< Home